terça-feira, 28 de outubro de 2014

Como escrever errado em português?

Con tãtas gramaticas e tontos saitis de como escrevê coreto, u qui é escrevê erradu? Si vossê, acha que esce testo esta erradu, é sinal do qual  eu estou escrevendu dinferente do que voscê ta acostumado a le. Serta veis, mim disseram que portugueis, é a lingua mais dificil, do mundo. passei no enscino fundamental e no medio e fiquei acreditando de que era tudo verdade, sabe essa coisa de ficar falando e escrevendo errado poderia me custar o emprego e uma vida melho; Ai cheguei na facudade e já no primero periodo as coisas mudou de figura,

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett?


João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett nasceu com o nome de João Leitão da Silva no Porto a 4 de fevereiro de 1799, filho segundo de António Bernardo da Silva Garrett, selador-mor da Alfândega do Porto, e Ana Augusta de Almeida Leitão. Passou a sua infância, altura em que alterou o seu nome para João Baptista da Silva Leitão, acrescentando o sobrenome Baptdo Douro (Vila Nova de Gaia)]], pertencente ao seu avô materno José Bento Leitão. Mais tarde viria a escrever a este propósito: "Nasci no Porto, mas criei-me em Gaia". No período de sua adolescência foi viver para os Açores, na ilha Terceira, quando as tropas francesas de Napoleão Bonaparte invadiram Portugal e onde era instruído pelo tio, D. Alexandre, bispo de Angra.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Rui Barbosa de Oliveira

Nasceu em Salvador, BA, em 5 de novembro de 1849, e faleceu em Petrópolis, RJ, em 10 de março de 1923.
Advogado, jornalista, jurista, político, diplomata, ensaísta e orador, foi membro fundador da Academia Brasileira de Letras, e escolheu Evaristo da Veiga como patrono da cadeira 10. Foi presidente da ABL de 1908 a 1919.

Principais obras:
  • Visita à Terra Natal
  • Figuras Brasileiras
  • Contra o Militarismo
  • Correspondencia de Ruy
  • Mocidade e Estilo
  • Castro Alves: Elogio do Poeta pelos Escravos, 1881
  • O Papa e o Concílio, 1877
  • O Anno Político de 1887
  • Relatório do Ministro da Fazenda, 1891
  • Finanças e Políticas da República: Discursos e Escritos,1893
  • Os Atos Inconstitucionais do Congresso e do Executivo ante a Justiça Federal, 1893
  • Conferência. Londres: Eyre and Spottiswoode Ltda, 1917
  • Oswaldo Cruz, 1917
  • Oração aos Moços, 1920

Joaquim Matoso Câmara Júnior

Nascido a 13 de abril de 1904, tendo falecido também no Rio de Janeiro, a 4 de fevereiro de 1970.

Conhecido como pioneiro do ensino regular e ininterrupto de linguística no Brasil, fundador da Associação Brasileira de Linguística. Em 1942, Mattoso Câmara publicou o primeiro compêndio de linguística geral em língua portuguesa, Princípios de Linguística Geral. Como publicação póstuma, temos Estrutura da língua portuguesa (1970), História da Lingüística (1975) e História e estrutura da língua portuguesa (1975), obras excessiais para todo estudante de Letras no Brasil.







sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Biblioteca da Universidade de Uppsala

Região: Suécia
Localização: Uppsala
Créditos: Cecilia Larsson Lantz / imagebank.sweden.se

A mais antiga universidade na Escandinávia, fundada em 1477 destaca-se nas áreas da investigação e ensino superior. Oito dos seus professores e investigadores foram galardoados com o Prêmio Nobel e no total quinze pessoas, que de alguma forma estão relacionadas com a universidade, também receberam o prêmio.

O que é Paródia?

Por definição, é uma releitura cômica de uma composição literária, filmes ou músicas, sendo portanto, uma imitação que possui efeito cômico, utilizando a ironia e o deboche. É semelhante à obra de origem, e quase sempre tem sentidos diferentes.
Na literatura a paródia é um processo de intertextualização, a fim de desconstruir ou reconstruir um texto. A paródia surge a partir de uma nova interpretação, da recriação de uma obra já existente e, em geral, consagrada. Seu objetivo é adaptar a obra original a um novo contexto, passando diferentes versões para um lado mais despojado, e aproveitando o sucesso da obra original para passar um pouco de alegria. A paródia pode ter intertextualidade.
Aparece como importante elemento no modernismo brasileiro e na Poesia marginal da chamada "Geração mimeógrafo".

Original:
"Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas,
Nossos campos tem mas flores."
(Canção do exílio - Gonçalves Dias, poeta romântico brasileiro)

A paródia de Oswald de Andrade:
"Minha terra tem palmares onde gorjeia o mar
Os passarinhos daqui
Não cantam como os de lá"
Temos "palmares" representando o Quilombo dos Palmares, a expressão do nacionalismo crítico do movimento modernista brasileiro da vertente "Pau-Brasil".

Na música temos aqui um exemplo em que jovens nos anos 1960-70 pediam por melhorias nas eleições e protestavam veladamente contra a ditadura; uma das músicas que representam esse período é Roda Viva e o grupo Comédia MTV fez uma paródia muito criativa.

Original


Paródia


Já no cinema temos o famoso Top Gang Ases Muito Loucos (Hot Shot) que remete a Top Gun.

Original


Paródia

Segundo a lei brasileira sobre direitos autorais, lei 9.610/98 Art. 47. São livres as paráfrases e paródias que não forem verdadeiras reproduções da obra originária nem lhe implicarem descrédito.

Fontes:
Diário de uma diretora
Wikipédia, a enciclopédia livre.
Obrigado e boa leitura.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Barroco, a estética da dualidade | Literatura | Mande Bem no Enem

Professora Clenir Bellezi de Oliveira - Literatura
Aula: Barroco, a estética da dualidade

Participe do Mande Bem no ENEM.
Um curso totalmente gratuito que ensina como o ENEM pergunta.
Acesse: http://www.mandebemnoenem.com

Quando é Conotação ou Denotação?

 
Aí vem aquela pergunta: Isso tem sentido Denotativo ou Conotativo? Mas você sabe o que é conotação e denotação? Denotação é o que chamamos “significado de verdade”.

(1)
- O que é braço?
- Ora, o braço é uma parte do corpo humano, membro superior.

Tomando esse exemplo, temos que a palavra em questão é uma coisa sem dupla interpretação.

(2)
- O que é “braço direito”?
- Depende... pode ser o braço, que é parte do corpo humano, membro superior, que fica no lado direito, ou, pessoa de alta confiança de outrem.

Diante dessa segunda situação, temos que o termo “braço direito” pode assumir dois significados.

(3)
O braço de mar estende-se por vários metros.

Agora temos uma frase em que o termo destacado não tem nada a ver com a parte do corpo, ao contrário, é um trecho de mar que avança terra adentro.

Nos dicionários, de boa qualidade, a primeira referência à entrada é no âmbito denotativo e, em alguns casos, seguido de seu sentido conotativo.

No dicionário Aulete, temos o seguinte resultado para “Cabeça”:

1. Anat. Parte superior do corpo humano e superior ou anterior do corpo de outros animais vertebrados, e que contém o cérebro e os órgãos da visão, audição, olfato e paladar. [Aum.: cabeção, cabeçorra.]

2. Anat. Zool. Parte onde ger. ficam os olhos e a boca no corpo dos invertebrados.

3. Pop. Crânio

4. Pop. Cabelos, couro cabeludo: Lava a cabeça todos os dias

5. Anat. Nome dado às extremidades arredondadas, ou mais largas, de algumas partes do organismo, tais como as de certos ossos (cabeça do fêmur).

6. Fig. Capacidade de raciocinar ou de criar no pensamento; INTELIGÊNCIA: Use a cabeça para encontrar uma solução

7. Fig. Capacidade para decidir, para escolher corretamente, sensatamente; BOM-SENSO; JUÍZO: Fica nervoso e perde a cabeça.

8. Fig. Lembrança, memória: Aquela cena não lhe sai da cabeça.

 [...]

Ver mais em Cabeça.

Temos em 1, 2 e 5 uma resposta mais imediatista, sem possibilidade de duplo sentido nem alteração da significação básica da palavra, mas em 6, 7, e 8 temos um “desvirtuamento” do sentido original e temos assim um uso conotativo.
Normalmente expressões populares e gírias estão em sentido conotativo, por vezes a literatura também toma a conotação como recurso para impactar de forma diversa o leitor. Expressões do tipo:
Pé no saco.
Minhoca na cabeça.
(fulano é um) Coxinha.
Água com açúcar.

Não são tomadas ao pé da letra e por isso todas têm sentido conotativo. O problema é quando uma frase diz:

(4)
João quebrou a cara quando chegou ao trabalho.

(5)
Ele é um doente.

(6)
Estou com o pé na lama.

Há expressões que têm sentido literal e sentido figurado a depender do contexto. Muito cuidado ao escrever textos que não podem causar ambiguidade, redação de concurso, texto jornalístico, memorandos etc.

Espero ter ajudado com mais esse texto.

Obrigado e boa leitura!

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

"Ao invés de" ou "em vez de", qual o correto?


 
Em vez de ficar com dúvida, leia este artigo.Vamos tratar de um tema bem complicado em língua portuguesa. Qual o correto, "ao invés de" ou "em vez de"? Antes de responder, precisamos atentar para alguns detalhes dessas expressões:

1) Os núcleos SEMPRE são cercados por preposição. O termo "invés" tem "a+artigo definido masculino singular" e preposição "de", antes e depois, respectivamente; o termo "vez" é antecedido de "em" sem possibilidade de contração com o artigo definido e a preposição "de", respectivamente.

2) "Invés" veio do latim inversum que gerou "inverso" e "invés", sendo assim, pode-se dizer que essa expressão só pode ser usada quando se dá a ideia de oposição entre as duas situações.

Ex.:
  • Ao invés disso, quero aquilo.
  • Ao invés de ficar em casa, ele viajou de ônibus.

3) "Vez" é entendido como vez mesmo, no lugar de, ao invés de... opa! Como assim? Assim... "Em vez de" é usado nas situações em que se pode substituí-lo por "no lugar de", "ao invés de", ao contrário de".

Ex.:
  • Em vez de comprar um bolo, comprei dois.
  • Em vez disso, aquilo. 
  • Comeremos bolo, em vez de salgadinhos.
  • Em vez de sair de carro, é melhor a bicicleta.

4) Todo "ao invés de" pode ser substituído por "em vez de", mas NENHUM "em vez de" troca de lugar com "ao invés de". Justamente por ter a mesma característica do "ao invés de", o "em vez de" pode ser utilizado com maior frequência, já o "ao invés de" só pode ser usado em situações de oposição.

5) "Ao envés de" é um erro de ortografia, logo, NUNCA ESCREVA ASSIM!!!!!!!!!

Dito tudo isso, as duas formas estão corretas, apenas cada qual tem um determinado momento para ser utilizada.

Espero ter ajudado. Obrigado e boa leitura.