terça-feira, 28 de outubro de 2014

Como escrever errado em português?

Con tãtas gramaticas e tontos saitis de como escrevê coreto, u qui é escrevê erradu? Si vossê, acha que esce testo esta erradu, é sinal do qual  eu estou escrevendu dinferente do que voscê ta acostumado a le. Serta veis, mim disseram que portugueis, é a lingua mais dificil, do mundo. passei no enscino fundamental e no medio e fiquei acreditando de que era tudo verdade, sabe essa coisa de ficar falando e escrevendo errado poderia me custar o emprego e uma vida melho; Ai cheguei na facudade e já no primero periodo as coisas mudou de figura,

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Rui Barbosa de Oliveira

Nasceu em Salvador, BA, em 5 de novembro de 1849, e faleceu em Petrópolis, RJ, em 10 de março de 1923.
Advogado, jornalista, jurista, político, diplomata, ensaísta e orador, foi membro fundador da Academia Brasileira de Letras, e escolheu Evaristo da Veiga como patrono da cadeira 10. Foi presidente da ABL de 1908 a 1919.

Principais obras:
  • Visita à Terra Natal
  • Figuras Brasileiras
  • Contra o Militarismo
  • Correspondencia de Ruy
  • Mocidade e Estilo
  • Castro Alves: Elogio do Poeta pelos Escravos, 1881
  • O Papa e o Concílio, 1877
  • O Anno Político de 1887
  • Relatório do Ministro da Fazenda, 1891
  • Finanças e Políticas da República: Discursos e Escritos,1893
  • Os Atos Inconstitucionais do Congresso e do Executivo ante a Justiça Federal, 1893
  • Conferência. Londres: Eyre and Spottiswoode Ltda, 1917
  • Oswaldo Cruz, 1917
  • Oração aos Moços, 1920

Joaquim Matoso Câmara Júnior

Nascido a 13 de abril de 1904, tendo falecido também no Rio de Janeiro, a 4 de fevereiro de 1970.

Conhecido como pioneiro do ensino regular e ininterrupto de linguística no Brasil, fundador da Associação Brasileira de Linguística. Em 1942, Mattoso Câmara publicou o primeiro compêndio de linguística geral em língua portuguesa, Princípios de Linguística Geral. Como publicação póstuma, temos Estrutura da língua portuguesa (1970), História da Lingüística (1975) e História e estrutura da língua portuguesa (1975), obras excessiais para todo estudante de Letras no Brasil.







sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Biblioteca da Universidade de Uppsala

Região: Suécia
Localização: Uppsala
Créditos: Cecilia Larsson Lantz / imagebank.sweden.se

A mais antiga universidade na Escandinávia, fundada em 1477 destaca-se nas áreas da investigação e ensino superior. Oito dos seus professores e investigadores foram galardoados com o Prêmio Nobel e no total quinze pessoas, que de alguma forma estão relacionadas com a universidade, também receberam o prêmio.

O que é Paródia?

Por definição, é uma releitura cômica de uma composição literária, filmes ou músicas, sendo portanto, uma imitação que possui efeito cômico, utilizando a ironia e o deboche. É semelhante à obra de origem, e quase sempre tem sentidos diferentes.
Na literatura a paródia é um processo de intertextualização, a fim de desconstruir ou reconstruir um texto. A paródia surge a partir de uma nova interpretação, da recriação de uma obra já existente e, em geral, consagrada. Seu objetivo é adaptar a obra original a um novo contexto, passando diferentes versões para um lado mais despojado, e aproveitando o sucesso da obra original para passar um pouco de alegria. A paródia pode ter intertextualidade.
Aparece como importante elemento no modernismo brasileiro e na Poesia marginal da chamada "Geração mimeógrafo".

Original:
"Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas,
Nossos campos tem mas flores."
(Canção do exílio - Gonçalves Dias, poeta romântico brasileiro)

A paródia de Oswald de Andrade:
"Minha terra tem palmares onde gorjeia o mar
Os passarinhos daqui
Não cantam como os de lá"
Temos "palmares" representando o Quilombo dos Palmares, a expressão do nacionalismo crítico do movimento modernista brasileiro da vertente "Pau-Brasil".

Na música temos aqui um exemplo em que jovens nos anos 1960-70 pediam por melhorias nas eleições e protestavam veladamente contra a ditadura; uma das músicas que representam esse período é Roda Viva e o grupo Comédia MTV fez uma paródia muito criativa.

Original


Paródia


Já no cinema temos o famoso Top Gang Ases Muito Loucos (Hot Shot) que remete a Top Gun.

Original


Paródia

Segundo a lei brasileira sobre direitos autorais, lei 9.610/98 Art. 47. São livres as paráfrases e paródias que não forem verdadeiras reproduções da obra originária nem lhe implicarem descrédito.

Fontes:
Diário de uma diretora
Wikipédia, a enciclopédia livre.
Obrigado e boa leitura.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

"Ao invés de" ou "em vez de", qual o correto?


 
Em vez de ficar com dúvida, leia este artigo.Vamos tratar de um tema bem complicado em língua portuguesa. Qual o correto, "ao invés de" ou "em vez de"? Antes de responder, precisamos atentar para alguns detalhes dessas expressões:

1) Os núcleos SEMPRE são cercados por preposição. O termo "invés" tem "a+artigo definido masculino singular" e preposição "de", antes e depois, respectivamente; o termo "vez" é antecedido de "em" sem possibilidade de contração com o artigo definido e a preposição "de", respectivamente.

2) "Invés" veio do latim inversum que gerou "inverso" e "invés", sendo assim, pode-se dizer que essa expressão só pode ser usada quando se dá a ideia de oposição entre as duas situações.

Ex.:
  • Ao invés disso, quero aquilo.
  • Ao invés de ficar em casa, ele viajou de ônibus.

3) "Vez" é entendido como vez mesmo, no lugar de, ao invés de... opa! Como assim? Assim... "Em vez de" é usado nas situações em que se pode substituí-lo por "no lugar de", "ao invés de", ao contrário de".

Ex.:
  • Em vez de comprar um bolo, comprei dois.
  • Em vez disso, aquilo. 
  • Comeremos bolo, em vez de salgadinhos.
  • Em vez de sair de carro, é melhor a bicicleta.

4) Todo "ao invés de" pode ser substituído por "em vez de", mas NENHUM "em vez de" troca de lugar com "ao invés de". Justamente por ter a mesma característica do "ao invés de", o "em vez de" pode ser utilizado com maior frequência, já o "ao invés de" só pode ser usado em situações de oposição.

5) "Ao envés de" é um erro de ortografia, logo, NUNCA ESCREVA ASSIM!!!!!!!!!

Dito tudo isso, as duas formas estão corretas, apenas cada qual tem um determinado momento para ser utilizada.

Espero ter ajudado. Obrigado e boa leitura.